Om Tare!

Março 7, 2008 at 12:34 pm Deixe um comentário

Divindade Tara BrancaDivindade Tara BrancaNo último sábado (01/03/08) reunimos 30 mulheres para dançar a Mandala de Tara.  O trabalho foi encantador! Particularmente, desde que conheci o Budismo a prática de Tara me chamava…e foi muito bom poder realizar esse trabalho no nosso espaço em Karaguatá!

A origem do culto de Tara é descrita pelo famoso escritor e historiador medieval Taranatha no seu livro de 1608, A origem do tantra de Tara. Segundo Taranatha, tudo se passou numa Era (ou eon) muito antiga. Um eon tem a duração do Universo. Ou seja, o tempo entre o aparecimento e o desaparecimento de todo o Universo – isto é um eon. Havia, pois, numa Era muito antiga, uma princesa chamada Lua de Sabedoria, que era discípula de um Buddha, que era seu Guru. Ela tinha tanta devoção por seu Guru que um dia cobriu o equivalente a 19.000 m3 de preciosos oferecimentos para ele.

Esta princesa atingiu as mais altas realizações espirituais, graças provavelmente à devoção que tinha ao seu Guru. Por isso diz-se que o Guru é a fonte de todas as realizações. Assim alguém lhe disse que, como um dos muitos resultados de sua prática, ela ia renascer como homem. O nascer homem era considerado mais benéfico do que nascer mulher, pois assim poderia viver como iogue na floresta, ou numa gruta deserta, sem ser molestada. Mas a princesa não quis. Ela disse que havia muitos iluminados sob a forma masculina, e que ela queria tornar-se uma iluminada sob a forma feminina.

Após uma longa meditação em retiro ela atingiu o altíssimo estado de Anutpada ou não origem. Aquele é o mais elevado nível de meditação existente, quando podia ver o real estado da mente e os fenômenos como “incriados”, sem início, sem limites. A partir de então passou a ser conhecida como Tara (Tare), ou Drolma que quer dizer salvadora, ou aquela que libera.

Tara é uma palavra sânscrita. Segundo a lenda, muito tempo depois, Ela prometeu ao Buddha Amoghasidhi defender a todos os seres na mais profunda vastidão das dez direções, passando a ter vários nomes, como imediata e heróica, até se tornar por sua atividade a corporificação de todos os Buddhas. A partir de então se inicia o culto e prática de Tara como a ação concentrada de todos os Budas, o seja, o culto da mãe Tara. Foi o próprio Buddha Sakyamuni que na nossa Era revelou o Tantra de Tara, como a mãe de todos os Buddhas.

Tara é uma deidade meditacional, corporificação da atividade de todos os Buddhas. Tara é conhecida como Arya Tare, a Nobre Tara, a Grande Rápida Protetora, a Eliminadora dos Oito Medos.

grupo-tara.jpggrupo-tara.jpg

Marge

Marge Oppliger
* Oceanóloga; especialização em Educação Ambiental
* Focalizadora de Danças Circulares Sagradas; membro da International Network for the Dances of Universal Peace

* Facilitadora Credenciada do Jogo da Transformação (InnerLinks)
* Instrutora de Yoga e Meditação ( GFU- Grande Fraternidade Universal )
* Formação em Pedagogia e Terapia Artística, segundo a Ciência Espiritual Antroposófica

* www.simplicidade.net/marge

<

Entry filed under: Propriedades, ecovilas, .... Tags: .

Novas construções ecológicas em karaguatá Sabão com óleo reciclado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Tópicos recentes

Arquivos


%d bloggers like this: